segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Avaliação da Aprendizagem em Educação Online - Profº Dr. Marco Silva

10 comentários:

Edinelma Vaz disse...

Realmente avaliação deve ser uma forma de ajudar o aluno e não de prejudica-lo. Ela deve ser realizada no processo de ensino aprendizagem, pois caso o aluno cometa falhas e erros será mais proveitoso auxilia-lo no processo do que avalia-lo somente no final do curso quando não poderá mais ajudá-lo!!

Ilma Rosana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ilma Rosana disse...

A Avaliação no processo beneficia não somente o aluno como também ao tutor, por oportunizar ao tutor reavaliar sua prática durante o curso, e ao aluno o "ensaio e erro" que faz com que o mesmo processe as informações observando seus erros e dessa forma possa colaborar com os demais alunos da rede. Na educação virtual isso fica bem menos complexo porque o tutor através das interfaces pode acompanhar seus alunos em tempo real, as interfaces proporcionam este acompanhamento e aproximação.

Daniel Marques Costa disse...

O termo " interface" abordado pelo Professor Dr. Marco Silva realmente é bem apropriado na EaD, uma vez que representa e dinamiza as varias faces que síncrono e/ou assincronamente interagem nesse processo de aprendizagem e auxiliam bastante o professor no momento de avaliar.

FUTSEM'S disse...

Os professores Marco Silva e João Mattar, fazem uma critica o modelo tradicional de avaliação, afirmando que a avaliação da aprendizagem tem ficado pressa a questões que não levam à apreensão do conhecimento, medindo a capacidade de memorização dos alunos e classificando-os de acordo com a qualidade de pontos obtidos nos testes, provocando situações de exclusão em que os alunos que não obtém notas satisfatórias e sente-se fracassados e incapazes.
Portanto, a avaliação deve existir em função do processo de ensino-aprendizagem e não o contrário. Assim os alunos não devem temer as avaliações, pois seu esforço em estudar, aprender, participar e interagir das atividades, buscam importância na formação e autonomia do tutor e do aluno, ajudando a ganhar autonomia na utilização de “fórum, chat e wick” que são assim denominadas “Interfaces” sendo espaços de encontros das faces assim, a avaliação deve ser de baseada no método dialógico e na construção efetiva do conhecimento pelos estudantes e educadores,

Marlene Rosário Sousa disse...

“Avaliar é um ato de alegria, de felicidade, de amor...E não um ato de punição, de medo, de temor. ” Prof. Dr. Marco Silva.
Percebe-se nesta frase a visão do Prof. Marco Silva, aborda como a avaliação pode ser vista pelos os professores e principalmente pelos os alunos, não como “arma de punição”, mas como oportunidade de interação entre os conhecimentos, onde ambos possam perceber que a aprendizagem acontece de várias maneiras. Nos cursos on line, as interfaces são utilizadas como espaço de encontro avaliativo, do qual são verificadas a evolução processual do conhecimento como formação qualitativa, alcançando os objetivos traçados com produção, qualidade e resultados produtivos e satisfatórios.

odalia de araujo ferreira reis disse...

A participação do aluno no processo avaliativo resulta na inclusão do mesmo na construção dos saberes propostos pela LDBEM. Para isto a avaliação deverá ser democrática e participativa, integrando e estabelecendo parcerias a fim de encontrar novos caminhos que visem à concretização da aprendizagens e o fortalecimento do conhecimento adquirido como base para a aquisição de novos conhecimentos.

Flor Soares disse...

Uma das questões que podemos discutir, hoje, são as possibilidades que os aparelhos com acesso a web (androides e Smartphones) trouxeram que vieram ampliar as possibilidades de ensino e aprendizagem em cursos online, além das ferramentas que surgem nos resta jamais esquecer uma reflexão que Carolina Cavalcanti aponta em seu texto “Interatividade em ambientes WEB - dando um toque humano a cursos on-line”, no mesmo ela aponta que “na modalidade a distância em ambientes web existem quatro tipos de interatividade: aluno/plataforma tecnológica, aluno/aluno, aluno/professor, aluno/conteúdo.” Ela explica que precisamos reconhecer a existência destes quatro canais de interatividade e a sua utilização de modo correta para que venha nos auxiliar e motivar os alunos a não se sentirem sozinhos no processo de aprendizagem.

Flor Soares disse...

Amei a forma como desenvolvemos o curso nesta etapa 2. Parabéns Rangel!!!!!!
Na interação aluno/plataforma tecnológica foi imprescindível a participação do tutor na organização do conteúdo para que a turma obtivesse sucesso no curso; no tocante aluno/aluno foram maravilhosos os cursistas pois além da interação no AVA o sucesso no Whatzap foi gratificante ao tutor a meu ver. Na relação aluno/ professor percebo que o Whatzap foi de suma importância para o andamento dos demais ferramentas porque ra através dele que o professor dava o feeldbak a turma e isso leva a boa relação do aluno/conteúdo, favorecendo o sucesso da aprendizagem e resultando no excelente andamento do curso. No texto "Avaliação Formativa e Continuada da Educação Baseada na Internet" de Margarita Victoria Gomez traz uma abordagem que reflete o andamento que tivemos no curso até aqui: “Desafiar os estudantes a tentar realizar alguma nova atividade que possibilite a avaliação pode ser realizada criando um plano de ação; resolvendo exercícios de enriquecimento, para os alunos sem dificuldades, e oferecer novas oportunidades para quem não consegue realizar uma tarefa”.

Flor Soares disse...

http://tutoriaonline2014.blogspot.com.br/2014/11/tutoria-online-com-rangel-costa-nte.html
Visitem e deixe seu comentário

Seguidores